Blog Aventura & Cia

Você cuida adequadamente da sua barraca?

Terça-feira, 06 de Fevereiro de 2018 - Barracas

Qualquer modelo de barraca precisa de limpeza e manutenção frequente assim como qualquer outro equipamento. Veja alguns cuidados básicos que você pode ter para manter a barraca limpa, prolongando a vida útil dela.

O que é preciso fazer no dia-a-dia?

Cuide para manter o piso da barraca limpo. É aconselhável colocar embaixo da barraca um pedaço de  lona quando for acampar, porém a lona precisa ser um pouco menor que o piso para a água da chuva não entrar na barraca.

Lona Duralona

Para a parte interna da barraca o indicado é limpar os calçados antes de entrar na barraca, evitando que a sujeira entre. Para evitar lixo espalhado é bom sempre ter sacos plásticos disponíveis para guardar o lixo.

E se molhar a barraca?

Se a barraca estiver molhada nunca a guarde antes de uma boa limpeza e secagem. Uma barraca guardada molhada ou suja com o tempo irá mofar e embolorar. Além do mau cheiro o tecido enfraquecerá e poderá rasgar facilmente.

Na hora de desmontar a barraca caso esteja molhada, a agite bem para sair o máximo de água possível, após isso use uma toalha ou pano seco e limpo para remover o restante da umidade. Durante a viajem da volta, se possível, deixe a barraca em lugar com boa ventilação e fora da embalagem.

Assim que chegar em casa monte novamente a barraca em um lugar aberto e ventilado, mas protegida dos raios solares. Deixe a barraca secar completamente, mesmo que demore mais de um dia, tenha paciência, o importante é não guardar a barraca com qualquer umidade que seja.

 

Cuidado na hora de limpar a barraca!

Caso sua barraca esteja suja e precise de uma boa limpeza não use detergente ou algum outro sabão que não seja biodegradável. O detergente e o sabão comum removem a impermeabilização da barraca devido a sua composição que contém substâncias que auxiliam na penetração da água. Outra ideia que você deve descartar é de colocar a sua barraca na máquina de lavar e secadora, isso deformará e a rasgará. Limpe a barraca toda, mesmo as partes que não apresentam sujeira com um pano ou esponja macia e molhada e então a deixe secar.

Caso a barraca já esteja com mofo utilize uma mistura de limão com sal. Coloque em três litros de água quente um copo de suco de limão e um pouco de sal e passe um pano ou esponja com a mistura nas partes que estão com mofo.

Os zíperes da barraca também merecem atenção. A sujeira se acumula com o tempo e pode acabar impedindo que o zíper funcione. Sempre os limpe com uma escova e água para prevenir possíveis estragos.

Manutenção de pequenas partes 

Como falamos no artigo "Do que uma barraca é feita? 6 pontos que compõem uma barraca", a barraca possui algumas partes fundamentais, que podem apresentar defeitos com o tempo precisando ser substituídas. O problema é quando isso acontece durante o acampamento e você não tem como arrumar, por isso, é importante estar prevenido e possuir  lona,  varetas, estacas e cordas de fixação reservas. Com o tempo e uso o tecido da barraca perderá sua impermeabilidade, mas isso pode ser resolvido aplicando um spray impermeabilizante na parte interna da barraca. Se o problema está sendo nas costuras a melhor opção é utilizar fitas seladoras ou o selador de costuras líquido. O selador líquido é uma espécie de silicone ou esmalte e pode ser aplicado com um pincel. Após a aplicação é recomendado deixar a barraca montada por pelo menos 24 horas para secar bem.

Spray Impermeabilizante

Selador de Costuras Líquido 

 
Agora que você já sabe como cuidar melhor da sua barraca aproveite para conferir os produtos para a manutenção de sua barraca disponíveis em nosso site. Você também poderá encontrar a barraca ideal para você em nossa loja!

Continuar lendo ...

Do que uma barraca é feita? 6 pontos que compõem uma barraca

Terça-feira, 30 de Janeiro de 2018 - Barracas

À primeira vista uma barraca parece algo simples, mas ela é composta por várias partes essenciais para a segurança e proteção contra a chuva e vento.

Que tal olharmos esses itens para entendermos o funcionamento de uma barraca e não ter mais problemas durante o acampamento?

1- Quarto (Corpo da Barraca)

Sendo a parte onde você irá dormir e guardar seus equipamentos, o quarto além de te proteger do frio e chuva, é a parte mais importante da barraca. Na maioria das barracas usadas atualmente, o quarto possui telas mosqueteiras ou são produzidas com algum tecido respirável para permitir a entrada e saída do ar.

Em sua maioria, há pelo menos um bolso para acessórios e pequenos objetos no quarto da barraca. Fique atento a esse detalhe para que não falte lugar para você e seus equipamentos.

 

 

Materiais do quarto:

  • Algodão: Apesar de serem transpiráveis também apresentam mais chances de desgaste e são pesados.
  • Poliéster: Essas barracas apresentam maior resistência contra o desgaste e decomposição, além de serem mais leves.
  • Nylon:  Esse tecido é leve e possui bastante elasticidade.  Apresenta pouco desgaste, porém este tecido pode acabar sofrendo algumas deformações ao longo do tempo.

  

2- Piso

O piso da barraca serve para proteger o quarto da umidade e pequenos animais presentes no solo. Além disso, o piso ajuda a manter a barraca quente, impedindo que a baixa temperatura do solo suba para o quarto. Em casos de chuva ele também será o responsável por não permitir que a água entre por baixo da barraca.

Materiais do piso:

Plástico: Os pisos de plástico são feitos de polietileno, que se mantem impermeável por um bom tempo. Apesar de serem grossos e pesados podem apresentar alguns rasgos com facilidade.

Tecido: Precisam passar por alguns processos de impermeabilização. Os tecidos mais utilizados para pisos de barracas são o nylon e o poliéster, que apesar de serem bem parecidos e apresentarem boa resistência e leveza, o poliéster geralmente é mais barato e costuma ter um pouco menos de qualidade.

 

3- Varetas (estrutura)

As varetas possuem a função de manter a barraca armada e em pé. Toda a barraca vem acompanhada de um conjunto de varetas, porém, geralmente essas varetas estão divididas em várias partes para facilitar o transporte. Há também um elástico dentro das varetas que serve para uni-las no momento da montagem da barraca.

 

Materiais da vareta:

Alumínio: São leves e apresentam ótima resistência. As barracas com varetas de alumínio são indicadas para campings com chuvas e ventos fortes. Também existem as varetas de duralumínio que são mais resistentes do que as de alumínio, mas não são tão utilizadas.

Fibra de vidro: As barracas mais populares possuem varetas de fibra de vidro. Apesar de possuírem um custo baixo elas não são tão leves quanto as varetas de alumínio e quebram mais facilmente.

Fibra de carbono: Se destacam por apresentarem boa resistência e leveza.

 

 

4- Estacas

As estacas, também conhecidas como espeques, são fundamentais para quem está acampando ao ar livre para manter a barraca no chão e impedir que ela se mova.

 

Materiais das varetas:

Alumínio: Não apresentam boa resistência e podem acabar entortando com o uso, porém este é um material que não enferruja e é leve.

Aço: São mais resistentes e pesadas. A desvantagem das estacas de aço é que elas enferrujam com o tempo, porém, há o aço inox e o galvanizado, que demoram mais para enferrujar.

 

 

5- Sobreteto

O sobreteto dá a barraca ainda mais resistência contra chuva e ventos, até mesmo contra o frio. Apesar de serem como uma capa os sobretetos possuem no mínimo uma janela para ventilação.

É importante que as costuras do sobreteto sejam seladas (cobertas por uma fita) para que em caso de chuva a água não entre pelos buracos da costura.

Os sobretetos mais indicados são o completo e com avancê. O sobreteto completo oferece mais segurança e resistência pois cobrem a barraca até o chão. Já o sobreteto com avance, além de proteger toda a barraca, possui um espaço extra que varia de tamanho de acordo com o modelo, podendo ser com espaço apenas para alguns equipamentos ou uma espécie de varanda da barraca.

Sobreteto completo

Sobreteto com avancê grande

Também existem os sobretetos parciais que cobrem quase toda a barraca, mas deixam a parte da frente sem proteção e diferentemente dos sobretetos completos não é possível fechar esta abertura.

No lugar do sobreteto algumas barracas possuem uma espécie de chapeuzinho, que é uma pequena proteção apenas na parte de cima e que não protege a barraca da chuva e do vento.

Atualmente alguns modelos de sobretetos possuem uma camada de alumínio para refletir a luz do Sol e manter a barraca mais fresca, também ajudando para que calor dentro da barraca não vaze quando se está acampando em lugares com baixas temperaturas.

Sobreteto parcial

Chapeuzinho

Materiais da sobreteto:

Poliéster:  Esse material é utilizado em quase todos os sobretetos. Em alguns casos a densidade do tecido pode variar. 

6- Cordas de fixação

As cordas de fixação, também chamadas de cordinhas ou esticadores, servem para esticar o sobreteto, afastando-o da barraca. Muitos podem até achar que não, mas essas cordas são fundamentais para garantir a resistência da barraca, pois se o sobreteto não estiver esticado corretamente o vento ou a chuva poderão danificar a barraca ou entrar nela, mesmo que seja impermeável. Com o sobreteto bem esticado a ventilação dentro da barraca também irá melhorar.

 

Agora que vimos as partes principais de uma barraca cadastre-se para receber mais materiais informativos sobre camping e barracas! Você também poderá conferir as barracas que nós temos em nossa loja e encontrar a barraca ideal para você!

Continuar lendo ...

13 equipamentos que todo montanhista precisa ter

Terça-feira, 23 de Janeiro de 2018 - Montanhismo

Antes de comprar seus equipamentos para montanhismo é importante ter em mente qual tipo de atividade você pretende realizar, pois conforme a atividade o número de equipamentos exigidos será maior ou menos e em algumas delas é fundamental estar com equipamentos especiais para proteção e segurança.

Confira agora uma breve explicação sobre alguns equipamentos usados na prática do montanhismo. Veja quais são os equipamentos certos para você investir e se aventurar.

Caminhadas em montanhas:

Se você pretende praticar apenas caminhadas não será necessário levar muitos equipamentos, porém é importante verificar o nível da trilha. Com os equipamentos básicos você poderá realizar caminhadas leves sem muitos obstáculos ao longo do caminho.

Tênis ou Botas: O uso do calçado certo evitará dores e lesões principalmente no tornozelo. Dependendo do tipo de trajeto que você irá percorrer poderá optar entre botas ou tênis, sendo que o tênis é indicado apenas para caminhadas mais curtas e com trilhas de nível fácil sem obstáculos. Em trilhas longas ou irregulares com buracos, pedras ou degraus o ideal é optar por uma bota de cano alto, pois assim o tornozelo ficará firme e protegido de possíveis torções. 

Bota Snake Terroir II Coffee Bota Snake Impermeavel Dry Shield Femme - Rato

Bota Snake Terroir II Coffee 

 Bota Snake Blox III Impermeável Dry Rato

 

Mochila: Item fundamental para guardar equipamentos e acessórios, a mochila poderá variar de tamanho conforme a duração da caminhada que você pretende fazer. Para caminhadas pequenas de apenas algumas horas você pode optar por modelo menor e mais simples, mas para realizar caminhadas mais longas é fundamental escolher uma mochila com um bom tamanho, de preferência de 40 a 70 litros.

Mochila Hidrabag Mojave Vermelha 2 Lts - Guepardo Mochila Futura Pro 42L - Azul - Deuter

 Mochila Hidrabag Mojave 2 Lts - Guepardo

Mochila Futura Pro 42L -  Deuter

Barraca: Caso você pretenda passar a noite na montanha será necessária uma barraca para descansar, se proteger do frio e chuva e guardar seus equipamentos e alimentos. Observe sempre o modelo da barraca pois é indicado que ela seja resistente a chuva e ao frio. Para saber como escolher a sua barraca confira este material.

Barraca Tecnica Everest 1 Pessoas - Guepardo Barraca Vênus

Barraca Tecnica Everest

Barraca Vênus

Saco de dormir: Este é outro equipamento que aconselhamos para você caso pretenda passar a noite na montanha. Durante a noite e madrugada a temperatura costuma cair nas montanhas, criando a necessidade de estar com um saco de dormir para se manter aquecido. Em alguns casos o desconforto não é o único problema causado pelo frio, o risco de hipotermia é grande caso você não possua nada para se esquentar. 

Saco de dormir Tantry -3°C a +3°C Vermelho e Preto - Nautika Saco de Dormir Nautika modelo Mummy -1°C a +8°C na cor Preto com Verde

Saco de dormir Tantry

Saco de Dormir  Mummy

Kit de Primeiros Socorros: Mesmo com toda segurança e cuidado sempre estamos expostos a diversos perigos, por isso, antes de ir praticar qualquer atividade de montanhismo verifique se está levando um kit de primeiros socorros com você.

Kit Primeiros Socorros Único - Bravo

Kit Primeiros Socorros Único

Lanternas e canivetes: Uma lanterna ou canivete podem ser úteis em vários momentos que irão variar conforme a situação, mas serão essenciais para qualquer atividade noturna ou que necessite cortar algo. 

Lanterna Charger II - Mormaii Canivete 3" com Cabo em Madeira - Tramontina

Lanterna Charger

Canivete 3" em Madeira

 

Atividades radicais

Se você pretende praticar uma atividade radical em montanhas como escalada ou rapel será necessário investir em equipamentos específicos, principalmente itens de segurança. Mas lembre-se, quando o assunto é sua segurança o indicado é não economizar e investir em equipamentos de qualidade.

Sapatilha: A sapatilha é um dos itens obrigatórios para escalada pois oferece mais equilíbrio e aderência enquanto estiver em contato com a rocha. Existem alguns pontos que você deverá levar em consideração e avaliar amarração da sua sapatilha, são eles:

  • Cadarço: As sapatilhas com esse tipo de amarração possibilitam um melhor ajuste aos pés e são boas para quem tem pés finos.
  • Velcro: As sapatilhas com amarração de velcro não possibilitam o ajuste adequado nos pés e dependendo da qualidade do material poderá ocorrer maiores problemas.
  • Slipper: Esse modelo de sapatilha possibilita menos ajustes e isso pode fazer o que ela fique solta devido o suor dos pés.

Outro ponto importante a ser observado é o material da sapatilha. As sapatilhas feitas com couro sintético ou natural são mais confortáveis e respiráveis, mas também são mais propícias ao surgimento de mal cheiro. As sapatilhas de material sintético não são tão confortáveis e respiráveis como as de couro, porém, apesar de serem menos propícias a mal cheiro fazem com que os pés suem com mais facilidade. 

Sapatilha de escalada Anhangava X-Grip Snake Sapatilha de escalada Trinity X-Grip Verde - Snake Sapatilha de escalada Resiliense II Azul - Snake

Sapatilha de escalada Anhangava X-Grip Snake

Sapatilha de escalada Trinity X-Grip Verde - Snake

Sapatilha de escalada Resiliense II Azul - Snake

Cordas: As cordas estão entre os principais equipamentos de segurança pois evitam quedas e choques com rochas no caso de quedas, evitando que o atleta sofra graves lesões. 

É importante ficar atento na hora de escolher uma corda para escalada ou rapel. Primeiramente a corda deve possuir certificação UIAA (União Internacional das Associações de Alpinismo), pois esse é o certificado que garante que ela passou pelos principais testes de qualidade e resistências mostrando-se adequada para a prática de escalada e rapel. 

A corda também precisa ser dinâmica, ou seja, possuir elasticidade de 6 a 10% sob o peso do atleta para que consiga absorver o impacto de uma queda. As cordas possuem capa e alma, sendo que a alma é a parte interna da corda e que geralmente consiste em diversas cordas trançadas individualmente, o que gera a elasticidade da corda. Já a capa é basicamente o tubo de tecido que envolve a alma. Para quem pretende escalar no gelo o indicado é optar por uma corda que possua capa Dry, pois essas capas são resistentes a água. 

Capacete: Outro equipamento de extrema importância para a segurança do atleta de montanhismo. O capacete serve principalmente para evitar lesões graves em casos de queda e proteger a cabeça de possíveis objetos que possam cair durante a escalada ou rapel. O capacete precisa ser ventilado, leve e com alças de fixação para se ajustar bem na cabeça.

Os capacetes feitos de policarbonato são mais duros e possuem correias na parte interior para absorver melhor o impacto. Por serem mais pesados não são tão usados hoje em dia, porém são duráveis e apresentam boa resistência.

Os capacetes híbridos possuem uma espessura média e absorvem os impactos com espumas. Eles são indicados por serem leves.

Uma dica importante é não comprar capacetes usados, mesmo aparentando bom estado o capacete pode ter sofrido golpes que o causaram alguma lesão que tenham prejudicado sua integridade.

Fita solteira: A fita solteira é responsável por prender o atleta no grampo quando ele faz uma pausa na escalada, necessitando ser de boa qualidade para garantir a segurança do escalador. As fitas solteiras mais utilizadas são feitas de Nylon pois é um material bastante resistente, duradouro, e barato. Há também as fitas feitas com Spectra (fibra de polietileno) que apesar de serem mais resistente não são muito adequadas para quedas. 

Mosquetões: Eles são necessários para encaixar outros equipamentos, principalmente os de segurança, como cordas e fitas. Os mosquetões podem ter trava de rosca que proporciona maior segurança ao escalador pois dificilmente abrem acidentalmente. Nesse tipo de trava há um pequeno tubo que deve ser rosqueado na abertura do mesmo.  

Outro tipo de trava comumente usada é o automático que realiza o travamento com maior agilidade, pois seu sistema de mola aciona ou libera a abertura e travamento, porém, mosquetões desse tipo apresentam defeitos com mais frequência. Há também os mosquetões que não possuem nenhum tipo de rosca para travamento, que também são usados por escaladores, pois são fáceis e rápidos para colocar e tirar da corda. 

Mosquetão - Coleman

Mosquetão - Coleman

 

Cadeirinha: A cadeirinha é composta por fitas que prendem as pernas e cintura do montanhista prendendo o atleta na corda, mosquetões e freios. Há diversos modelos de cadeirinha, as mais simples devem ser usadas apenas em atividades dentro de academias de escalada, não sendo recomendadas para a prática em rochas. Já os modelos esportivos possuem acolchoamento nas fitas para que o desconforto gerado pela tensão das fitas não prejudiquem o atleta.

Também existem outros modelos como a cadeirinha de conquista, mais confortável e indicada para quem vai passar dias escalando. Já a cadeirinha de escalada em gelo, como o nome já diz, é recomendada para quem vai escalar no gelo enquanto a cadeirinha Integral é o tipo que proporciona a mais segurança, sendo recomendada para crianças.

Freio: Também conhecido como descedor, o freio garante a segurança do atleta no rapel, criando atrito com a corda e diminuindo a força necessária para segurar.  Os freios manuais possuem funcionamento bem simples. Geralmente são de mental e possuem duas aberturas, sendo que em uma delas enrosca-se a corda e a outra deve ser presa a cadeirinha através de um mosquetão. Entre os freios manuais o freio oito é o mais conhecido, principalmente entre os praticantes de rapel. Como o nome já diz, esse tipo de freio possui um formato muito parecido com o número 8.

Há também o freio automático que funciona sem precisar ser acionado, segurando sozinho a corda no caso de uma queda. Para ele funcionar corretamente o atleta deve estar sempre atento as recomendações de manuseio do freio, como por exemplo, prendê-lo corretamente à cadeirinha. Esse modelo é maior e mais pesado, o que pode acabar gerando algum desconforto.

Agora que você já sabe quais os principais equipamentos e as diferenças dos modelos aproveite para conferir os equipamentos e acessórios para montanhismo na Aventura & Cia e já garanta os equipamentos que você vai precisar para sua próxima aventura!

Continuar lendo ...

Montanhismo: Quais suas modalidades e equipamentos básicos?

Quinta-feira, 11 de Janeiro de 2018 - Montanhismo

Popularmente o montanhismo se refere a um conjunto de atividades ligadas a montanhas, porém, no contexto esportivo o montanhismo é a prática de atividades em média montanha, ou seja, montanhas com até 2.500 metros de altitude. Que tal vermos algumas atividades relacionadas ao montanhismo e alguns equipamentos necessários para praticar tais atividades? Preparamos um resumo que vai lhe auxiliar nessas dúvidas. 

Escalada 

A escalada é um dos mais conhecidos esportes que utiliza as técnicas e movimentos do montanhismo. Seu objetivo é alcançar o topo de uma montanha ou de blocos e paredes artificiais dividida em algumas modalidades sendo as principais: outdoor, prática ao ar livre, e indoor, que se caracteriza por ser praticado em lugares fechados. A escalada pode ser praticada em grupo ou individualmente. Em todos os casos é indicado o uso do pó de magnésio para retirar o suor da mão e aumentar o atrito com a parede, garantindo mais segurança.

Indoor

Outdoor

As rotas para escalada que uma montanha possui são chamadas de vias, podendo haver várias vias de níveis diferentes em uma única montanha. As vias mais populares costumam ter nomes específicos e forma diversos grupos, sendo importante conhecer  o grupo (área) que você vai escalar, as vias que ela possui e o grau de dificuldade. 

 

Rapel

O rapel é a atividade de descer montanhas, prédios, paredões, cachoeiras, penhascos, pontes, abismos, etc. Com uma corda e utilizando técnicas para transpor obstáculos, o rapel pode ser praticado juntamente com a escalada, ou seja, a escalada pode ser utilizada para subir a montanha e o rapel para descer.  

Aqui no Brasil o rapel chegou a cerca de 15 anos através de espeleólogos que exploram grutas, cavernas, fontes e águas subterrâneas. É possível durante a descida realizar diversas manobras, desde balançar e até ficar de cabeça para baixo. O rapel exige muita força, técnica e concentração assim como outros esportes radicais. No rapel é importante o uso de luvas para proteger as mãos de possíveis queimaduras devido a fricção com a corda. As luvas também ajudam a ter mais atrito quando a velocidade da descida é reduzida. 

O Rapel é dividido em duas modalidades:

  • Rapel positivo: Quando o atleta toca a parede com os pés durante a descida. 
  • Rapel negativo: Quando não há contato dos pés do atleta com a parede. 

 

Principais equipamentos para escalada e rapel: 

Sapatilha – Na hora de escolher um sapato adequado o ideal é optar por uma sapatilha de escalada por oferecerem ao atleta maior equilíbrio enquanto escala a rocha.  

Corda –  As cordas para escalada e rapel geralmente possuem boa elasticidade e resistência. São utilizadas pelo atleta para que caso ocorra alguma queda a corda o segure evitando que se choque com a rocha e sofra graves lesões. 

Capacete – Os capacetes para escaladas possuem a função de proteger a cabeça do atleta de possíveis objetos que podem cair durante a escalada. Ele também é fundamental para a segurança do escalador caso ele sofra alguma queda. 

Mosquetões – Eles são necessários para encaixar outros equipamentos, principalmente os de segurança, como é o caso das cordas e fitas. Os mosquetões geralmente são de aço ou duralumínio (conjunto de ligas metálicas). 

Fita solteira – Essa fita deve ser utilizada pelo escalador para que quando ele dê uma pausa na escalada a use para se prender ao grampo e assim garantir sua segurança. 

Freio – No rapel o freio é fundamental para uma descida tranquila e com segurança, pois devido ao atrito criado com a corda diminui a força necessária para a segurar e efetuar a descida. Na escalada ele também é indispensável para garantir a segurança do atleta.  

Caminhadas em montanhas 

Os equipamentos para caminhada em uma montanha são mais básicos e variam de acordo com o nível de aventura. Se a ideia é uma caminhada de um dia, um bom par de botas e uma mochila são o suficiente, mas caso você pretenda passar a noite na montanha é fundamental levar uma barraca e um saco de dormir. Também é indicado sempre carregar uma lanterna e um canivete para emergências e não esqueça de sempre colocar na mochila um Kit de primeiros socorros

As caminhadas em montanhas também são caracterizadas como Trekking e você pode conferir mais dicas e informações sobre caminhadas em montanhas nos nossos posts sobre Trekking no nosso blog.

Agora que você já sabe quais equipamentos são necessários para praticar atividades de montanhismo  aproveite para conferir os equipamentos e acessórios para montanhismo que temos disponíveis na Aventura & Cia

Continuar lendo ...

Onde praticar montanhismo perto das grandes capitais?

Terça-feira, 19 de Dezembro de 2017 - Montanhismo

Você nem sempre precisar ir para tão longe para praticar montanhismo, confira as nossas dicas e aproveite para praticar mais este esporte!

O montanhismo é a prática de subir montanhas principalmente com caminhadas e escaladas. O montanhismo também é chamado de Alpinismo, nome derivado do lugar onde o esporte surgiu, os Alpes. Para você que gosta do montanhismo, mas procura novos lugares para praticar, mostraremos agora alguns lugares indicados para a prática e que são próximos de grandes capitais. 

Morro do Anhangava, PR  

(Localiza-se a aproximadamente 30 Km de Curitiba)

O Morro do Anhangava fica no município de Quatro Barras, no Paraná. É referência nacional para as primeiras noções de escalada técnica. Por ser considerado ideal para escaladores iniciantes recebe montanhistas de todo o país e do exterior, sendo também muito visitado por atletas locais. Possui fácil acesso e conta com cerca de 180 vias diferentes de escaladas técnicas. 

Considerado o principal "Campo Escola" do montanhismo paranaense com 1.450 metros de altitude, apresenta extensas paredes rochosas nas encostas superiores que proporcionam experiências variadas, podendo ser realizadas desde simples caminhadas ao cume até escaladas em rocha classificadas do grau III ao IX. 

Curiosidades: 

- Em 1880 no Morro Anhangava ocorreu uma intensa extração de minérios destinados à construção da estrada de ferro que liga Curitiba até Paranaguá.
- Uma capela foi construída no cume do morro na década de 50 e a partir daí o morro passou a receber mais atenção.
- Em tupi-guarani Morro Anhangava significa "morada do diabo". 

Indicações: Escaladas, caminhadas e prática de voo livre.

Foto: G B
Foto: G B

 

Pão de Açúcar, RJ

(Localiza-se na cidade do Rio de Janeiro)

O Pão de Açúcar é um complexo de morros composto pelo Pão de Açúcar, Morro da Urca e pelo Morro da Babilônia. O Complexo do Pão de Açúcar está localizado no bairro da Urca, na cidade do Rio de Janeiro.  Com cerca de 396 metros de altura o Morro do Pão de Açúcar é circundado por vestígios de mata Atlântica com mais de 100 vias. A via mais frequentada é a Coringa pois é considerada a mais fácil.

O Morro da Urca é ideal para quem está começando a praticar rapel. Com mais de 50 vias, também possui trechos recomendados para iniciantes em escaladas, como na face sul. O Morro da Babilônia também é uma boa opção para quem ainda não tem muita experiência por possuir escaladas rápidas e com belas vistas. 

Curiosidades: 

- Estima-se que o Morro do Pão de Açúcar tenha sido formado há mais de 600 milhões de anos.
- O complexo do Pão de Açúcar juntamente com a estátua do Cristo Redentor é um dos mais famosos cartões-postal do Brasil.
- No complexo há uma trilha que pode ser percorrida a pé sem o auxílio de aparelhos de montanhismo. Ela é gratuita e leva da pista Cláudio Coutinho até o alto do Morro da Urca.

Indicações: Escaladas, caminhadas e rapel.

Morro da Urca

Foto: Celso Abreu

Morro do Pão de Açúcar 

Foto: Rodrigo Soldon

                                                                         

Serra Caiada, RN 

(Localiza-se a aproximadamente 70 Km de Natal)

A Serra Caiada fica no pequeno município de mesmo nome no Rio Grande do Norte. É referência para quem curte escalada e rapel.  Possui mais de 200 vias para escalada com vários graus de dificuldade, tendo o pico mais alto com 120 metros de altura. Com acesso fácil, às margens da rodovia BR-226 e vegetação de caatinga, é bastante frequentada pelos atletas de montanhismo. Em 2012 a Serra da Caiada sediou o XI Encontro de Escaladores do Nordeste. 

Curiosidades: 

- A Serra Caiada é uma das mais antigas formações rochosas das Américas, com cerca de 3,4 bilhões de anos.
- A escalada em Serra Caiada teve início em 1996, quando as primeiras vias foram grampeadas.
- Em 2016 ocorreu na Serra Caiada o evento Mulheres da rocha, em homenagem ao dia internacional da mulher. 

Indicações: Escaladas, caminhadas e rapel.

Foto: Elendrea Cavalcante

 

Pedra Grande, SP

(Localiza-se a aproximadamente 60 Km de São Paulo)

A Pedra Grande em Atibaia é uma ótima opção para os fãs de esportes radicais. Uma das trilhas mais famosas da região é a que sai do Vale do Flamboyant com aproximadamente três quilômetros e desnível. Com cerca de 1.450 metros de altitude é possível chegar até a pedra através de caminhadas ou escaladas.

Curiosidades: 

- A Pedra Grande foi tombada como patrimônio histórico em 1983.
- Também é possível estacionar o veículo na própria pedra, caso queira dirigir até o topo em vez de caminhar.

Indicações: Caminhadas, escalada, paraglider, rapel, parapente, asa delta e prática de voo livre. 

Foto: Fotos públicas

 


Pico Caratuva, PR

(Localiza-se a aproximadamente 57 Km de Curitiba)

O Pico do Caratuva é a segunda montanha mais alta da região Sul com 1850 metros de altura. Localizada entre o município de Antonina e Campina Grande do Sul é cercado pela Mata Atlântica com uma vegetação exuberante. Ao longo do percurso há rios e pequenas cachoeiras, e ainda campos cercados de verdes arbustos chamados Caratuvas, que dão nome ao Pico. Também é possível acampar no pico e presenciar o nascer do sol atrás do Pico Paraná, maior montanha do sul do Brasil e que possui uma bela vista do cume do Caratuva. 

Curiosidades: 

- A planta chamada caratuva tem cerca de um metro de altura e pertence a família do bambu. É uma das responsáveis pela característica beleza do pico.
- O Pico do Caratuva possui diversas antenas de rádio amador em seu cume que podem ser vistas de longe. 

Indicações: Escaladas e caminhadas. 

Foto: Gustavo L. Simianer Procat
 
 

Serra do Cipó, MG

(Localiza-se a aproximadamente 100 Km de Belo Horizonte)

A Serra do Cipó é considerada um dos melhores lugares do Brasil para a prática de escalada. As escaladas são feitas em rochas calcárias típicas da região com diversas cachoeiras, piscinas naturais, grutas e cavernas com pinturas rupestres.

O Morro da Pedreira, que está localizado às margens da rodovia MG-01, é um dos morros da Serra do Cipó mais procurado pelos montanhistas que praticam escalada. Também há outros lugares na Serra que se destacam, como as chamadas Rod e Lapinha, a primeira trata-se de uma área de escalada particular que está dentro de um sítio, no local há mais de 30 vias com diferentes graus de dificuldade. 

Curiosidades: 

- O primeiro nome que recebeu foi Serra da Vacaria, mas no século 18 passou a ser chamada de Serra da Lapa. Atualmente é conhecida como Serra do Cipó devido a uma fazenda chamada Cipó localizada na região.
- O pico do Breu é o mais alto da serra, com 1687 metros, e o pico da Lapinha é o segundo com 1686 metros de altitude.
- Na região também é possível encontrar produtos artesanais, como doces caseiros e cachaça. 

Indicações: Caminhadas, escalada, canoagem e rapel.

Serra do Cipó

Foto: Renato Alves Costa

Morro da Pedreira

Foto: Mariano Vale

                                                              

   


Pedra do Baú, SP

(Localiza-se a aproximadamente 200 Km de São Paulo)

A Pedra do Baú está localizada no Complexo do Baú, conjunto de rochas da Serra da Mantiqueira na cidade de São Bento do Sapucaí no estado de São Paulo. A pedra conta com 1950 metros de altitude e com aproximadamente 400 metros de paredes.

A Pedra do Baú possui vias de diversos níveis de dificuldade, ou seja, há opções para quem está iniciando no esporte e também deseja um bom desafio. É possível acessar o cume da pedra fazendo uma caminhada com duração de aproximadamente uma hora pelo lado norte e subindo uma escada metálica de 600 degraus fixados na pedra. 

Curiosidades: 

- A Pedra do Báu foi escalada pela primeira vez em 1940, pelos irmãos Cortez, João e Antônio Teixeira de Sousa.
- Na ponta da Pedra do Baú vê-se um enorme precipício de granito, capaz de dar vertigem em qualquer pessoa.
- Uma casa já foi construída no topo da pedra, feita de tijolos e telhado de cobre para armazenar água da chuva, utilizada para pernoites de alpinistas. Infelizmente a casa foi destruída por ação de vandalismo. 

- Guias e instrutores são facilmente encontrados na região.

Indicações: Escaladas e caminhadas. 

Foto: Celsim Junior

                                                  

Pedra da Taba, SC

(Localiza-se a aproximadamente 120 Km de Florianópolis)

A Pedra da Taba está localizada na cidade de Laguna, conhecida por suas belezas naturais como lagoas, morros e rochas. O local possui uma boa variedade de vias a serem exploradas. Outro destaque é a quantidade de boulders, pequenos blocos de pedras com menos de 6 metros e que são escalados sem o uso dos equipamentos de segurança convencionais e por isso exigem força e são de extrema dificuldade técnica.

Curiosidades: 

- As maiores vias possuem cerca de 35 metros e são chamadas de Similitude e Carbonífero.
- As primeiras vias do local foram abertas pela a Associação Catarinense de Escalada e Montanhismo de Florianópolis. 

Indicações: Escaladas. 

Pedra da Taba
Foto: Carambola Brasil

 

Agora que indicações de lugares para praticar montanhismo não é mais o problema, aproveite e confira a grande variedade de equipamentos e acessórios para montanhismo que temos disponíveis na Aventura & Cia

Continuar lendo ...

Como escolher minha bota para trekking?

Terça-feira, 28 de Novembro de 2017 - Trekking

Conheça as principais características que a sua bota para Trekking precisa ter para cada tipo de atividade!

Como falamos em posts anteriores, usar uma boa bota para Trekking é fundamental para evitar dores e lesões no tornozelo durante trilhas e caminhadas. Para ajudar na sua escolha separamos 04 dicas com as principais características das melhores botas para Trekking. 

1- Observe o solado da bota

Uma boa bota para Trekking necessita ter um solado mais grosso para que você não sinta as pedras do caminho e para garantir uma maior aderência em terrenos acidentados e melhor absorção de impactos evitando que você escorregue. O ideal é que o solado seja em alto relevo e com ranhuras ou cravos para aumentar o nível de aderência e tração da sola, seja em superfícies de terra, lama ou rocha. 

2- Sua Boa necessita ser leve, impermeável e transpirável

A maioria dos Trekkings costumam durar de horas ou dias. Com uma bota leve seu esforço será menor e fará muita diferença no final da caminhada quando você estiver cansado.

Observe se a bota é impermeável, pois durante o caminho você talvez vá atravessar um terreno com lama ou algum riacho. O orvalho presente nas plantas aos poucos irá molhar a sua bota, deixando-a desconfortável e mais pesada.  

Para evitar que o seus pés e meias fiquem suados é importante que a bota seja de material transpirável. Caso fique com os pés úmidos no calor, o desconforto será grande e caso seja em um clima mais frio a sensação térmica irá piorar bastante.

3- Botas de cano alto e cano baixo

Na maioria das vezes o tipo de bota indicado para Trekking são as botas com cano alto pois protegem o tornozelo de lesões e torções em terrenos mais acidentados, com superfícies irregulares ou com obstáculos no caminho.  

Já as botas com cano baixo permitem uma maior liberdade de movimento e são mais leves. Essas botas são semelhantes a um tênis comum, se diferenciando pelos materiais empregados que são mais robustos. Geralmente as botas de cano curto são usadas em trilhas leves de até um dia, com  o mínimo de desnível e sem mochilas cargueiras.

4- O material da bota

A maioria dos materiais utilizados em botas são sintéticos ou couro. Os materiais sintéticos costumam ser mais finos e consequentemente possibilitam uma melhor respiração dos pés, consequentemente existe a chance de entrar água caso o material não seja impermeável. As botas com materiais sintéticos são as mais procuradas por possibilitarem uma melhor flexibilidade de movimentos.

As botas feitas de couro seguram melhor a umidade do lado de fora, são mais pesadas, não são indicadas para trilhas longas, são mais resistentes a entrada de água e são uma boa opção para ambientes mais frios. Um ponto negativo das botas de couro é sua fragilidade, em alguns casos elas acabam se rasgando mais facilmente do que a botas materiais sintéticos por ser um material menos maleável.  

BÔNUS - Indicações: 

Botas para caminhadas em trilhas leves e caminhadas curtas, parques urbanos, trabalho, passeios e viagens: (Botas impermeáveis e respiráveis)

Essas botas normalmente são mais leves, feitas de tecido e couro. São  flexíveis  e podem ser usadas com mochilas de até 10 kg.

Bota Jackal Dry Preto - Vento Bota Snake Impermeavel Frame Light Bota Snake Terroir II Coffee

Bota Jackal Dry Preto - Vento

Bota Snake Impermeavel Frame Light

Bota Snake Terroir II Coffee 
Bota Snake Marumby II Preto Bota Jackal Vermelha - Vento Bota Snake Impermeável Terrex

Bota Snake Marumby II Preto

Bota Jackal Vermelha - Vento

Bota Snake Impermeável Terrex

    

Botas para travessias: (Botas impermeáveis e respiráveis)

Botas para travessias são em sua maioria mais rústicas e duráveis. Com solados grossos, protegem das pedras no caminho e evitam possíveis lesões e torções, mas são mais pesadas. 

Bota Snake Fuse Dry Femme Azul Bota Snake Blox III Impermeavel Dry Rato Bota Snake Impermeável Dry Stone II

Bota Snake Fuse Dry Femme Azul

Bota Snake Blox III Impermeável Dry Rato

Bota Snake Impermeável Dry Stone II 

   

Bota Snake Dry Shield Preto Bota Vento Santiago-Pro Dry Desert

Bota Snake Dry Shield Preto

Bota Vento Santiago-Pro Dry Desert

     

Botas para montanhismo e expedições: (Botas impermeáveis e respiráveis)

Essas botas são mais resistentes e duráveis, geralmente possuem canos altos com solado agressivo e durável. Podem ser usadas com mochilas pesadas e permitem um bom apoio aos pés.  São boas para caminhadas longas e viagens de longa duração. 

Bota Snake Impermeável Preto Bota Snake Impermeável Zodiac II Marrom Bota Snake Andina X-Treme
Bota Snake Impermeável Preto

Bota Snake Impermeável Zodiac II Marrom

Bota Snake Andina X-Treme

Bota Vento New X-Pro III Waterproof Bota Snake Andina X-Treme
Bota Vento New X-Pro III Waterproof

Bota Snake Andina X-Treme 

            

Já sabe qual a bota para Trekking que você precisa? Aproveite nossas dicas e indicações e confira as botas para trekking que temos na Aventura & Cia! Não deixe de dar uma olhada nos vários equipamentos para trekking que temos disponíveis no nosso site!

Continuar lendo ...

3 Dicas para evitar dores e lesões em caminhadas e Trekking

Terça-feira, 28 de Novembro de 2017 - Trekking

Na prática do trekking assim como de qualquer outra atividade há a chance de dores e lesões se praticada sem os cuidados necessários!

Antes de sair para um Trekking ou caminhada é importante você saber dicas de cuidados que evitarão dores ou lesões durante ou depois do Trekking. Para você não correr o risco de ter uma experiência ruim, veja abaixo algumas dicas simples e fundamentais para evitar esse tipo de problema.

1- Calçados confortáveis e adequados

É fundamental o uso de um calçado adequado para evitar dores e lesões, principalmente no tornozelo. Dependendo do tipo de trajeto você pode optar por tênis ou botas. Em trilhas com irregulares, buracos, pedras ou degraus o melhor é você usar um par de botas de cano alto, pois assim o tornozelo ficará firme e protegido de possíveis torções.

O uso de um tênis, desde que apropriados para Trekking, é indicado apenas quando a trilha é em terreno regular. O tênis deve ser leve e confortável. 

Outro detalhe importante é escolher bem as meias, pois dependendo da qualidade da meia ela ficará molhada devido ao suor ou possíveis poças de água que você encare pelo caminho. Uma meia molhada pode causar feridas nos pés (bolhas, micoses e frieiras).

Tênis Adventure Bota Vento New X-Pro III Waterproof

Tênis Adventure 

Bota Vento New X-Pro III Waterproof

 

Meia Trekking Vento Meia Adrenaline Branca

Meia Trekking Vento

Meia Adrenaline Branca

 

2- O peso da mochila

O peso da mochila é uma questão delicada, pois ele pode sobrecarregar suas pernas e tronco. No início é mais indicado que você faça Trekking ou caminhadas curtas com pouco peso para ir acostumando e adaptando as suas pernas ao esforço. Nas caminhadas mais leves, em terrenos suaves e descampados, coloque todo o material pesado o mais alto possível na mochila, de preferência perto das costas pois assim o centro de gravidade da carga ficará na altura dos ombros.

Em caminhadas médias e escaladas, em terrenos acidentados ou trilhas em mata, o centro de gravidade deve ficar na altura do meio das costas pois nessas trilhas é necessário passos altos, pulos, agachamentos e balanços laterais. Se você estiver com uma mochila grande com centro de gravidade alto ela poderá te derrubar durante um agachamento.

Para caminhadas com grandes cargas em terrenos muito acidentados e mata fechada os equipamentos mais pesados devem ser colocados no fundo da mochila pois com o peso embaixo você terá menos desgaste físico e uma maior liberdade de movimentos.

3- Alongamento e aquecimento antes de trekking

Como em qualquer atividade física é fundamental fazer exercícios de alongamento e aquecimento antes de começar uma trilha, assim seus músculos ficarão com maior flexibilidade para transpor os obstáculos que encontrar pelo caminho, diminuindo o risco de dores, lesões, contraturas musculares ou até mesmo uma ruptura de músculos e tendões.  

Você pode fazer alguns exercícios bem simples antes de começar a sua trilha: 

  • Pescoço: Abaixe o pescoço, próximo ao ombro, coloque a mão sobre a orelha e faça força para baixo, contando até 20. Vire para o outro lado e repita o mesmo procedimento.
  • Costas: Juntamente com outra pessoa se agache, a distância entre os dois deve ser toda a extensão dos braços. Segure as mãos do seu parceiro e force o pescoço para baixo.
  • Peito e ombro: Fique de costas para o seu companheiro e coloque os braços para trás. O seu amigo deverá força-los para dentro.
  • Antebraço e bíceps: Estique os braços na frente do seu corpo, vire eles para dentro e entrelace os dedos, estique bem toda a extensão dos braços.
  • Tríceps: Estique o seu braço e o dobre, colocando-o atrás da cabeça, com a outra mão segure o cotovelo e faça pressão para baixo. Repita o mesmo procedimento o outro braço.
  • Frente da coxa: Primeiro coloque uma perna na frente da outra e deixe a perna da frente flexionada a cerca de 90 graus. Com o pé virado para frente estique a perna de trás deixando somente a ponta do pé apoiada no chão, faça uma leve pressão com o quadril para baixo. Mantenha a coluna ereta e apoie as mãos no joelho da perna da frente.
  • Músculo de trás da coxa: Numa superfície abaixo da altura de seu quadril apoie o pé virado para cima (como um banco ou uma barra) e então leve o peito o mais perto possível do joelho da perna que está elevada. Mantenha a perna de baixo esticada e tenha cuidado para não deixar o quadril sair do lugar.
  • Panturrilha: Apoie as suas mãos numa parede ou árvore e fique com uma perna na frente, a que vai ser alongada deve ficar para atrás. Deixe a perna da frente um pouco flexionada e a de trás bem esticada. A sola do pé deverá permanecer no solo, após 20 segundos mude de perna e alongue a outra. 

O que achou das dicas? Agora que você já sabe como evitar dores e lesões comece a planejar a sua próxima ou primeira trilha e confira os diversos equipamentos para Trekking que temos disponíveis na Aventura & Cia

Continuar lendo ...

O que é trekking? Será que é diferente de caminhada?

Quarta-feira, 08 de Novembro de 2017 - Trekking

O Trekking é uma atividade física e aeróbica que pode ser praticado como uma forma de lazer ou de competição. Também conhecido como caminhada, consiste no ato de caminhar em trilhas em meio a montanhas e florestas. O Trekking pode ser praticado por qualquer pessoa pois é uma atividade de baixo impacto, porém isso irá depender da trilha escolhida.

Trekking é uma palavra de origem africana e significa "seguir a pé um percurso ou caminho". Durante o século XIX quando os holandeses colonizaram a África do Sul que o trekking nasceu. O termo era utilizado para se referir à resistência física e ao sofrimento, pois a caminhada era o único meio de locomoção naquela época. Os ingleses, ao chegarem na região aderiram a palavra e passaram a usar para se referir as longas caminhadas que os seus trabalhadores precisavam enfrentar. 

Em sua primeira trilha é aconselhado que você tenha o acompanhado de um guia que já conheça o caminho pois nessa primeira experiência ele poderá avaliar o seu ritmo, necessidades e dificuldades em uma trilha, mas também se avalie em todo o caminho e identifique as situações que surgirem para que na próxima vez você não dependa de guias ou outras pessoas.

Tipos de trekking

Trekking de um dia – É o tipo de Trekking mais praticado, com uma caminhada mais curta, aproximadamente 10 km, é considerado como lazer. Caracterizado por marcas de início e fim bem delimitadas podendo ser praticado em grupo ou individualmente. 

Travessias ou Trekking de longa distância – Também considerado como uma atividade de lazer, pode ser praticado em grupos. Para essas trilhas você precisará de equipamentos para pernoites (como barraca e saco de dormir) e alimentação própria pois podem durar vários dias. Quando contam com carregadores, cozinheiros e guias especializados são consideradas expedições.

Trekking de regularidade – O Trekking regularidade é considerado uma competição e possui regras bem delimitadas. Nesses casos o  percurso e duração é determinado pela organização das provas. Geralmente é praticado por grupos de 3 a 6 pessoas que obrigatoriamente não podem conhecer o percurso até o momento da prova. Cada integrante possui uma função previamente determinada na equipe como navegador, calculista ou contador de passos.

O principal objetivo do trekking de regularidade é se manter no percurso certo sem a necessidade de ser o primeiro a concluir o percurso. Também é importante percorrer todo o caminho dentro do tempo determinado, por isso é importante o uso de equipamentos como mapas para navegação e planilhas com velocidade média, distâncias e referências.

Trekking de velocidade –  O Trekking de velocidade é considerado uma competição, popularmente conhecida como “corrida de competição". Nesse tipo de Trekking o objetivo do atleta é chegar aos postos de controle (definidos pela equipe organizadora da prova) no menor tempo possível. Quem escolhe o caminho é o próprio atleta, dessa forma, os atletas podem optar por aquele que julgarem melhor podendo contar com a ajuda de cartas de navegação e bússolas.

 

Principais equipamentos

Botas

Na hora de escolher o calçado, o mais indicado é utilizar botas pois dão mais segurança aos tornozelos nos diversos terrenos que serão percorridos ao longo das trilhas. 

   

Mochila

A mochila é fundamental para guardar todos os equipamentos e acessórios como cantil, lanterna lanches, kits de primeiros socorros e outros objetos. 

    

Cantil

Em qualquer atividade física praticada ao ar livre é fundamental sempre se manter bem hidratado. Durante a caminhada você deverá sempre ingerir água e jamais ficar com sede, por isso, sempre tenha um cantil de no mínimo um litro.

   

Bússolas

Ter uma bússola é fundamental em Trekkings de velocidade ou de regularidade, mas é aconselhável sempre ter uma mesmo nos Trekkings  de lazer para se orientar e saber a direção certa a seguir para chegar ao ponto final do percurso.

   

Bastões de caminhada

A principal função dos bastões de caminhada é dar apoio. Eles oferecem maior segurança e ajudam na prevenção de acidentes. Um bastão para caminhada também proporciona mais conforto para a coluna em caminhadas longas.

   

Roupas leves

Prefira roupas leves que permitam a transpiração, pois assim o suor evaporará e secará mais rápido evitando desconfortos e assaduras. Calças jeans e blusas de malha não são recomendadas na prática do Trekking.

 

Obs.: Em competições de trekking, como de regularidade e velocidade, é necessário equipamentos específicos. 

 

Que tal praticarmos Trekking? Como acabamos de ver, há modalidades de Trekking para todos os gostos, escolha qual combina com você e confira os diversos equipamentos para trekking que temos disponíveis na Aventura & Cia

Continuar lendo ...

Acampar sai caro? Saiba a média dos principais itens

Segunda-feira, 30 de Outubro de 2017 - Camping

Preparamos uma lista com a média que você precisará investir nos principais equipamentos para camping!

Se você está com aquela vontade de acampar mas ainda está em dúvida pois não tem os equipamentos para camping e nem sabe quanto vai ter que gastar para os adquirir, vamos te ajudar!

Existe uma variedade de equipamentos para camping, mas para quem está afim de começar a acampar  tem aqueles itens que são básicos, que em um camping menos radical irá te proporcionar uma ótima experiência apenas com eles.

Ainda em dúvida? Veja aqui as melhores marcas de caming!

Para facilitar, separamos uma lista com os equipamentos de extrema necessidade  que você terá que investir agora no início e fizemos uma média dos preços de acordo com os produtos da Aventura & Cia.

Quanto será que custa o principal equipamento para camping, a barraca? 

Barraca - A barraca é indispensável e fundamental em qualquer acampamento. Com uma barraca que você poderá guardar seus equipamentos e alimentos, onde você poderá descansar e dormir e também poderá se proteger do frio e da chuva. 

Porém, podemos dizer que a barraca é o item mais difícil para estabelecer uma única média de preço, pois o valor irá variar de acordo com a qualidade, modelo, tamanho, impermeabilidade,  resistência a chuva e frio, e outros detalhes da barraca. 

  • Barracas mais básicas e simples: média de R$ 100,00
  • Barracas intermediárias, com resistência: média de R$ 250,00
  • Barracas para variadas situações, com ótima resistência: média de R$ 500,00
  • Barracas extra grandes (para família e amigos), com ótima resistência: média de R$ 1000,00

Caso queria saber um pouco mais confira nosso material sobre barracas.


E para dormir bem? 

Colchão Inflável - Algumas pessoas podem até achar que o colchão não é um item tão necessário, mas ele faz toda a diferença na hora de descansar e ter uma boa noite de sono. Não é apenas pelo conforto, o colchão inflável irá te ajudar a evitar que o frio e umidade do solo cheguem até você quando estiver dormindo. Você também poderá levar um isolante térmico e um saco de dormir. 

  • Colchão Inflável de solteiro:  média de R$ 70,00
  • Colchão Inflável de casal:  média de R$ 120,00

O saco de dormir e isolante térmico se utilizados juntamente podem substituir um colchão, pois o saco de dormir irá te manter razoavelmente confortável e bem aquecido enquanto o isolante térmico irá impedir que a umidade e frio do solo suba e chegue até você. Em casos de clima mais frio o saco de dormir e isolante térmico são fundamentais, principalmente para evitar casos de hipotermia. 

  • Saco de dormir básico:  média de R$ 60,00
  • Saco de dormir para temperaturas razoavelmente negativas:  média de R$ 180,00
  • Isolante térmico:  média de R$ 30,00


Itens que serão úteis e fundamentais para diversas situações!

Lanterna - A lanterna será fundamental para você conseguir fazer qualquer coisa durante a noite, principalmente se você estiver acampando em lugar sem iluminação, seja se alimentar, organizar seus equipamentos, se preparar para dormir e etc. 

  • Lanterna simples: média de R$ 30,00

Canivete - Por ser um item multiuso o canivete poderá ser útil em diversas situações. Uma faca por exemplo, seria melhor no preparo dos alimentos mas não tão adequada para cortar uma corda, já o canivete se sairia bem nas duas situações, sendo compacto e fácil de carregar. 

  • Canivete com boa qualidade: média de R$ 50,00


Para preparar a comida e se alimentar 

Fogareiro - Se você pretende se alimentar bem e poder preparar a sua própria comida você precisará de um fogareiro. Com um fogareiro você também poderá fazer um bom café de manhã e ainda outras bebidas para se aquecer caso o frio apareça. 

  • Fogareiro simples: média de R$ 70,00 

Cooler - É interessante investir em um cooler para levar seus alimentos, pois eles irão mante-los refrigerados ou aquecidos por mais tempo, além disso, os alimentos ficarão bem guardados e a durabilidade deles será maior. 

  • Cooler básico: média de R$ 50,00 


Kits que você não pode esquecer!

Kit Higiene e Kit de Primeiros Socorros - Mesmo com toda a segurança e cuidado, sempre estamos expostos a diversos perigos e em um acampamento não é diferente. Então, nada de ir acampar sem levar um kit de primeiros socorros! E não podemos esquecer da higiene, pois cuidar dela também é fundamental mesmo no camping.

  • Kit de higiene básico:  média de R$ 25,00
  • Kit básico de primeiros socorros:  média de R$ 70,00 

Animado para começar a montar seu acampamento? Vale lembrar que todos os itens citados são úteis para muitas outras situações, não sendo úteis apenas em um camping. Alguns poderão ser usados em piqueniques, outros em uma tarde de folga na praia, ou até mesmo em uma simples caminhada em alguma trilha. Então aproveite e confira agora mesmo todos os equipamentos e acessórios para camping que temos na Aventura & Cia

Ainda em dúvida? Veja aqui as melhores marcas de caming!

Continuar lendo ...

Quais as melhores marcas em itens para camping?

Sexta-feira, 27 de Outubro de 2017 - Camping

Entre diversas marcas de produtos para camping brasileiras e internacionais sabemos que fica difícil escolher qual a melhor, mas para te ajudar separamos quatro das melhores marcas em itens para camping que você poderá encontrar na Aventura & Cia.

 

GUEPARDO 

A Guepardo está presente no mercado de produtos para esportes e aventuras no Brasil desde 2007. Com 10 anos de história, a marca é referência em inovação e une qualidade e praticidade. A Guepardo seleciona e adapta os equipamentos para o clima brasileiro, assim atendendo as necessidades de seus consumidores. 

"Esta é a razão a qual vivemos a paixão por aventura, buscamos espalhar o estilo de vida outdoor e criar experiências e realidades únicas, que inspiram o esporte, lazer e aventura sem limites." (GUEPARDO, 2011

A Guepardo também se destaca por sua responsabilidade ambiental, desde a escolha da matéria prima até a distribuição dos produtos. As embalagens da Guepardo possuem o selo "preserve a natureza", ou seja, são produzidas com 90% de materiais reciclados e são 100% recicláveis.

A qualidade dos produtos é outro ponto de destaque da Guepardo, desde 2013 a marca trabalha em parceria com a ASIG, empresa de origem alemã com escritórios na Ásia que vistoriam e testam seus produtos. 

 

Alguns dos produtos da Guepardo:

Barraca Zeus Guepardo

Barraca Zeus - Guepardo

Travesseiro Inflável Smart - Guepardo

Travesseiro Inflável Smart - Guepardo

Mochila Vancouver - Guepardo

Mochila Vancouver - Guepardo

Speaker Lamp - Guepardo

Speaker Lamp - Guepardo

Saco De Dormir UltraLight Preto - Guepardo

Saco De Dormir UltraLight - Guepardo

Barraca Trekking - Guepardo

Barraca Trekking - Guepardo

 

COLEMAN

A Coleman é uma empresa norte-americana especializada em produtos de atividades ao ar livre, especialmente equipamentos de camping.  Pioneira em produtos para camping, a Coleman foi fundada em 1900 por William Coffin Coleman, um jovem vendedor. 

Durante a Segunda Guerra Mundial a Coleman criou um fogão de bolso a pedido do exército americano que superou todas as expectativas. O fogão podia trabalhar de -51ºC a 65ºC, ele também podia funcionar com todos os tipos de combustíveis, pesava cerca de 1,5 kg  e era menor que um frasco de leite. Esse foi só o começo do sucesso e consolidação da marca mundialmente. 

 Fogão Coleman G-I Pocket Stove

"As lanternas Coleman guiaram aeronaves para pousos seguros nas montanhas dos Andes na América do Sul na década de 1920, e ajudou alpinistas a chegar ao topo do Monte Everest no próximo século. Caminhadas, acampamentos, pesca, caça, canoagem, natação, quatro rodas, relaxante, carregamentos... Estar ao ar livre tem muito a oferecer e Coleman tem tudo para ajudá-lo a chegar lá." (COLEMAN, 2017)

Muitas produtos de marcas conhecidas fazem parte da família Coleman, como os  flutuadores e reboques Sevylor®, coletes salva-vidas Stearns®, acessórios Mad Dog Gear® ATV, coletes esportivos Helium® e camas infláveis AeroBed®. 

Alguns dos produtos da Coleman:

Barraca de Camping Praiarie Breeze - Coleman

Barraca de Camping Prairie Breeze - Coleman

Caixa Térmica Aço Inoxidável - Coleman

Caixa Térmica Aço Inoxidável - Coleman

Conjunto Mesa e Banco - Coleman

Conjunto Mesa e Bancos - Coleman

Lampião Led 4D Classic CPX - Coleman

Lampião Led 4D Classic CPX - Coleman

Fogareiro 1 Boca e Grill Propano - Coleman

Fogareiro 1 Boca e Grill Propano - Coleman

Barraca LX - Coleman

Barraca LX - Coleman

 

NAUTIKA

A Nautika é uma das empresas de equipamentos de aventura mais antigas do Brasil e está no mercado desde 1975. A empresa inicialmente fabricava barcos infláveis, colchões de ar e piscinas em um galpão na cidade de São Paulo.  

Sempre buscando se adaptar ao mercado e às necessidades dos campistas brasileiros a Nautika rapidamente cresceu e se tornou popular. Atualmente está presente em todo o território nacional e nos últimos anos expandiu as vendas para países como Chile e Estados Unidos. 

"Com um amplo portfólio de produtos, distribuídos nas 12 marcas do Grupo, chegamos ao número de 3.000 itens, responsáveis por atender à todos os perfis de consumo, do iniciante ao profissional e também aos mais variados portes de lojistas." (NAUTIKA, 2016) 

Devido ao processo de modernização e expansão  no  EUA a Nautika se transformou em NTK. Assim o nome Nautika passou a representar a empresa distribuidora que detêm os direitos das marcas: NTK, AQUAFISHING, IGLOO, FLAMBEAU, AQUA MARINA, DEUTER, AZTEQ, CAMELBAK, SEA TO SUMMIT, DURBAN, NTK TÁTICO e CROSMAN.

Alguns dos produtos da Nautika:

Barraca Indy - Nautika

Barraca Indy - Nautika

Conjunto Mesa + 04 Banquetas dobravel Royal - Nautika

Conjunto Mesa + 04 Banquetas dobravel Royal - Nautika

Binóculo Tucano 8X40mm - Nautika

Binóculo Tucano - Nautika

Colchão Brunei - Nautika

Colchão Brunei - Nautika

Rede Kokun Solteiro Azul e Cinza - Nautika

Rede Kokun Solteiro - Nautika

Fogareiro Chef - Nautika

Fogareiro Cheff - Nautika

 

MOR

A Mor é uma empresa brasileira que nasceu no município de Santa Cruz do Sul - RS. Inicialmente era  uma empresa familiar e fabricava produtos para apicultura em uma pequena metalúrgica no início dos anos 60. Atualmente além da fábrica em Santa Cruz do Sul possui uma unidade em São Paulo e é líder em produtos de camping e lazer. 

"Também nos preocupamos em cuidar do que está a nossa volta. Por isso, possuímos programas e tecnologias empregadas, que permitem a redução no consumo de recursos naturais e os impactos ao meio ambiente." ( MOR, 2017) 

Atualmente a Mor possui mais de mil itens de lazer e camping em seu leque de produtos, como piscinas infláveis, cadeiras, churrasqueiras e artigos de utilidade doméstica, como panelas, varais, mesas e escadas. Os produtos produzidos pela Mor são comercializados em todas as regiões do Brasil, Mercosul e está presente nos principais mercados mundiais.

Alguns dos produtos da Mor:

Barraca Luna - Mor

Barraca Luna - Mor

Cooler Térmico - Mor

Cooler Térmico - Mor

Colchão Inflável King com Fole embutido - Mor

Colchão Inflável King com Fole embutido - Mor

Fogareiro Aço Rustic - Mor

Fogareiro Aço Rustic

Saco de Dormir 200gr 4°c com extensor - Mor

Saco de Dormir 200gr 4°c com extensor - Mor
Gazebo Oxford - MorGazebo Oxford - Mor

 

Todas as marcas citadas se destacam por possuírem itens de qualidade para camping e pela grande variedade de produtos. Na Aventura & Cia você encontra produtos de todas essas marcas, Guepardo, Coleman, NautikaMor e outras. Para conhecer todos os produtos confira o nosso site, lá você poderá encontrar todos os itens listados acima e muitos outros. 

Continuar lendo ...